"Writing is a socially acceptable form of schizophrenia."
(E.L. Doctorow
)

"Words - so innocent and powerless as they are, as standing in a dictionary, how potent for good and evil they become in the hands of one who knows how to combine them."
(Nathaniel Hawthorne
)

domingo, 14 de agosto de 2011

Porquê, saudade?


Será a altura certa para o dizer? Para o admitir?

Mas, dizer realmente o quê? Que admitir?

Será tarde demais? Deverei dizê-lo?

Mas, qual será o momento certo para o declarar?

E se o declamar, que vantagem me trará?

Serei escutado com atenção e carinho? Ou apenas uma parede me ouvirá?

E tu, saudade, que queres de mim?

Que admita que me tomas diariamente? 

Que admita que, cada vez que isso acontece, a intensidade não pára de crescer?

Será que é para me castigar?

Será que me mostras que, na realidade, aquilo que desejo ter e aquilo com quem desejo estar não é, na verdade, aquilo que realmente mereço?

Se calhar, não mereço realmente...

Tu, minha amiga traiçoeira, trazes à superfície aquilo que faz com que não mereça aquilo que gostaria de merecer.

Saudade, tocaste-me com um sentimento. Um sentimento que nunca imaginei que fosse tão forte.

Querida companheira, revelaste, aos meus olhos, as minhas fraquezas, os meus defeitos.

Irmã de dor, iluminaste a importância daquele ser.

Nada me fazia sentir mais completo como pessoa do que uma outra pessoa.

Mas não uma qualquer. Esta distinguia-se das restantes.

Nos teus jogos com o meu ser interior consolidaste um grande sentimento. 

Como pudeste saudade?

Porquê a alguém tão impossível para mim, um ser grandemente defeituoso? Alguém que agora é apenas um sonho, uma miragem, um luz ao fundo do túnel!

E agora queres que o diga?

Queres que admita tamanha falta por alguém que tu, sim tu, me causaste?

Venceste. A verdade é ditada pela saudade.

A saudade tomou conta de mim...

3 comentários:

Rute Azevedo disse...

Adorei, Fábio ! (: É verdade que a saudade muitas vezes traz consigo sentimentos que julgávamos que não existiam ou que não tivessem tamanha intensidade. Mas também é com a "falta" que percebemos a importância real daquilo que nos faz sentir essa dor. Não existe uma altura certa para dizer seja o que for e só sabemos que era ou não o momento exacto depois das coisas acontecerem. Por isso vale sempre a pena tentar. Mais vale arrependeres-te do que fizeste do que ficar eternamente a pensar no que poderia ter acontecido. A saudade, tal como todos os outros sentimentos fortes, faz-nos sofrer mas também nos faz sentir vivos ! (: Muitos beijinhos e, para que saibas, também tenho saudades tuas :b

http://maresderevolta.blogspot.com

Júlia Rocha disse...

A saudade é boa e má no sentido mais intenso do nome. E por isso, tal como disse a Rute, faz-nos sentir vivos!

Muito bem Fábio! :)

Marisa disse...

"A saudade tomou conta de mim..."

É que nem vale a pena dizer mais nada!

Enviar um comentário