"Writing is a socially acceptable form of schizophrenia."
(E.L. Doctorow
)

"Words - so innocent and powerless as they are, as standing in a dictionary, how potent for good and evil they become in the hands of one who knows how to combine them."
(Nathaniel Hawthorne
)

sábado, 29 de janeiro de 2011

A crítica começa... Agora!

Liberdade de expressão…

Maldito, aquele que criou estas palavras. Maldito, aquele que as aplicou. Maldito, aquele que hoje fala em nome da “liberdade de expressão”. Tão patéticos, aqueles que ainda acreditam nela. Mais tristes ainda, aqueles que em nome dela discursam.

Todos os dias, sem excepção, alguma alma neste planeta tem a infeliz ideia de mostrar a sua «opinião» ao mundo, através de textos ou comentários tão insípidos que levam à agonia o mais profundo do nosso ser. A falta de empenho em transmitir, de forma original, profunda, inteligente e corajosa, o que a nossa consciência aprova (ou não) nesta sociedade, onde nos foi destinado viver. Pobres estes coitados que pensam saber o que é dar opinião, o que é a verdadeira liberdade de discursar, escrever e pensar.

Meus irmãos, meus compatriotas, continuem a clamar a democracia aos Antonistas e aos Oliveiristas, que mais não fazem do que nos mostrar apresentações espectaculares de continuidade, de bem-estar e de algum sacrifício de «todos». Mas, como em qualquer mau filme, quando vemos a totalidade do conteúdo deparámo-nos com cenários de sofrimento e de muito sacrifício, onde a «totalidade», sabe-se lá porquê, esqueceu-se de um grupo de senhores engravatados que, segundo consta, têm muita habilidade em mexer naquilo em que não devem. Se calhar quem fez estas apresentações não conhece tais habilidosos porque, se os conhecesse, sem dúvida que os levava também para o matadouro.

Não adianta lançar frases curtas de bem ou maldizer, pouco impacto obtêm. Não adianta esmiuçar directamente, a nossa democracia prega-nos um sermão e põe-nos de castigo.

Abriu-se uma nova porta para mim, uma terceira via. Chega de tentativas falhadas, de pequenos comentários nunca lidos, de vídeos e imagens raramente vistos. O caminho da ironia e da sátira hoje começa e transmitir a minha critica aos assuntos actuais é a meta pretendida.

3 comentários:

Joana Nunes disse...

Já te disse o que tinha a dizer : está muito boa ( :

Maria João*** disse...

E aqui estou eu, a exercer a minha 'liberdade de expressão e opinião'! x)
Gostei muito. Já sabes que acho que escreves muito bem. E a crónica está muito boa, parabéns =)
Precisamos de pessoas no país e no mundo, que digam o que pensam, mesmo que seja contra a ordem establecida!
E deixo-me de lamechices e elogios, que nem parece meu em relação à tua pessoa ;)

Liliana Pinho disse...

Posso só dizer que és um orgulho de afilhado? :')

(E talvez que escreves muito melhor do que aquilo que o Jornalismo exige. Tens muito mais para dar, a muito mais coisas).

Enviar um comentário