"Writing is a socially acceptable form of schizophrenia."
(E.L. Doctorow
)

"Words - so innocent and powerless as they are, as standing in a dictionary, how potent for good and evil they become in the hands of one who knows how to combine them."
(Nathaniel Hawthorne
)

domingo, 1 de setembro de 2013

Defendam o piropo!

Militantes do BE discutem fim do piropo nas ruas do país - Elsa Almeida e Adriana Lopera criticam banalização da ideia de que a mulher "está aí para ser tocada" in Jornal "I"


Tal como Martin Luther King, eu tenho um sonho.
O sonho de viver numa sociedade justa, com princípios e valores, com clareza e transparência de valores, e acima de tudo onde os garanhões e os trabalhadores da construção cívil possam mandar o seu piropo para as mulheres que passam.


O que o Bloco está a tentar fazer é crime, até acho que deve ser contra a Constituição (nunca a li, mas está na moda ser contra ela). Como se atrevem a querer tirar a melhor parte do trabalho desta gente? O que é um "trolha" sem uma chalaça como "Oh boneca, se fosses de porcelana partia-te toda…"? É apenas mais um trabalhador infeliz sem a chance de poder dizer aquela senhora tamanho elogio.

O piropo está na base da originalidade. Há mulheres até que quase os coleccionam, perante tanta variedade de escolha. O piropo não é mais do que uma panóplia de oportunidades para mostrares que és diferente. Podes pegar num simples: "Foste à tropa? É que já marchavas…" ou ires mais longe como um bom garanhão e usares um "A tua mãe só pode ser uma ostra para cuspir uma pérola como tu" ... enfim, poesia de rua sem preço.

Espero mesmo que isto não vá avante. O país não está preparado para perder o piropo, já nos tiraram tanta coisa, mas retirarem a possibilidade de um homem ser elogioso para uma mulher sendo javardo ao mesmo tempo é inconcebível ... As conversas entre homens mudariam radicalmente: "olha vai ali uma rapariga bonita. Ah, pois é, quem me dera poder afirmar tamanho impropério que lhe despertasse a atenção com palavras que roçassem o badalhoco mas que ao mesmo tempo lhe mostrassem que estou interessado". Querem mesmo um mundo como este?

Meus amigos e leitores, o piropo faz parte do plano de engate de muitos, por isso intervenho com esta mensagem, em prol da defesa daqueles não têm voz:
"Não deixes morrer frases como 'Acreditas em amor à primeira vista ou tenho que passar por aqui mais uma vez?', 'O teu pai deve ser Terrorista…. És cá uma bomba!', 'Diz-me como te chamas para te pedir ao Pai Natal', 'Não te esqueças do meu nome, mais logo vais gritá-lo', 'Oh flor, se eu fosse jardineiro nunca te faltava água' ou mesmo 'Contigo filha, era até ao osso!' ... há pessoas neste mundo que precisam disto para a sua vida mais feliz.

O meu nome é Daniel Teixeira e em nome dos trabalhadores da construção civil, garanhões licenciados e outros machos latinos eu aprovo esta mensagem.

2 comentários:

Pedro Oliveira disse...

Esta é para mim uma das tuas melhores crónicas!!! :D

Daniel André Teixeira disse...

Obrigado amigo, no fundo percebo o teu gosto por esta :D

Enviar um comentário