"Writing is a socially acceptable form of schizophrenia."
(E.L. Doctorow
)

"Words - so innocent and powerless as they are, as standing in a dictionary, how potent for good and evil they become in the hands of one who knows how to combine them."
(Nathaniel Hawthorne
)

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

360º para Norte


Tu! Sim, tu, que estás a ler isto agora...
Não isto não é um slogan publicitário, não vou fazer propaganda de nada, mas reflecte comigo,
Quantas vezes já pensaste em dar uma volta de 180º na tua vida?
Deixar tudo para trás, começar do 0 num lugar diferente, porque querias fugir dos teus problemas, porque querias seguir os teus sonhos, porque simplesmente estavas aborrecido e querias algo novo.
Confessa, quando foi a ultima vez que sentiste isso? Este ano, hoje, quiçá, agora?
Mas a verdade é que não foste em frente, apercebeste-te que se calhar o que tens não é tão mau, ou simplesmente não é bom mas é sempre melhor do que a incerteza do que poderia acontecer.
Eu arrisquei, por mais que uma vez, eu abandonei tudo e quis descobrir um novo mundo.
Foi difícil, custou, tornou-se bom... 180º graus percorridos...
Depois de chegar a bom, qual é o espanto, qual esfera a descer uma ribanceira, queres para-la mas ela segue a rolar, quando pensaste que o mundo era azul (cor-de-rosa, não, para mim o mundo perfeito era azul) as nuvens começam a escurecer, a tempestade chega e começa a tornar tudo o que estava tão bem, no mesmo a que tu sempre quiseste fugir... E aí deste uma volta de 360º.
Aí volta-se ao ponto de partida, arriscar, viver, ter sucesso ou falhar...
É dificil, custa...
Hey, aonde já vi este filme antes?
Mas tudo melhora, começas a sorrir, começas a descobrir, começas a mudar...
Eventualmente, os 180º que virei, mais cedo ou mais tarde voltarão aos 360º, mas quando chegar ao fim sei que arrisquei, sei que ri, sei que caí, vivi!
Tens estômago para arriscar? Faz-lo! Mas lembra-te, para recolheres algo de bom, tens de primeiro aguentar com muitas dificuldades, tens de saber arcar com as consequências que sim, também as há, mas sem chuva também não há arco-iris :)



2 comentários:

Bruno Silva disse...

Muito bom, muito bom amigo!
E a musica final, sem descrição possível!!! *.*

Pikkz disse...

Obrigado!
A música é uma das que eu mais curto dos "ultimos tempos" dele e a letra traduz mais do que a crónica em si.

Enviar um comentário